Edmond Tarverdyan acredita que ex-campeã peso-galo poderia vencer a brasileira, hoje campeã peso-pena do UFC: “Cyborg é muito lenta”

Técnico de Ronda espera que ela faça mais uma luta, e que seja contra Cyborg

Uma das lutas mais especuladas do mundo do MMA, e que na verdade nunca esteve perto de acontecer, ganhou força nesta segunda-feira. Em entrevista ao programa “The MMA Hour”, o técnico de Ronda Rousey, Edmond Tarverdyan, disse que espera que ela volte a lutar, e que um grande desafio seria enfrentar a brasileira Cris Cyborg.

– Essa (luta) é única. Eu quero essa luta. Quando treinei Ronda, sabia que ela poderia vencer a Cyborg. Eu sei disso. Cyborg é muito lenta – afirmou Tarverdyan.

Ronda não luta desde a derrota por nocaute para Amanda Nunes, em dezembro do ano passado. Antes disso, perdeu pela primeira vez no MMA ao ser nocauteada por Holly Holm, em 2015, no UFC 193, quando perdeu o cinturão peso-galo do Ultimate. As duas derrotas consecutivas levaram Ronda a se afastar da luta até aqui. Dana White, presidente do UFC, já disse que não acredita numa volta da lutadora ao MMA.

Tarverdyan, por outro lado, não está tão certo do afastamento definitivo de Ronda e acredita que haveria grande motivação numa luta contra Cyborg. Mas ele não tem certeza se Rousey fará isso acontecer.

– Eu não sei. Viveremos e veremos. Se ninguém estivesse lesionado e estivesse tudo certo, nós pegaríamos essa luta, e estou dizendo que ela é muito lenta para a gente. E Ronda venceria. Ela precisa de um desafio, precisa pensar na adversária como inimiga. Ela não teve isso com Holly Holm, e foi Holm quem quis ser agressiva com Ronda antes. Mas contra Cyborg seria diferente. Ronda não gosta dela, acredita que ela usou esteroides.

O treinador de Ronda, em seguida, voltou a afirmar que não sabe se ela voltará a lutar, mas apostaria hoje que isso teria 50% de chance de acontecer.

– Será uma decisão apenas dela, se volta ou não. Mais uma luta? Não sei. Falei com ela, mas não sei se ela vai voltar. Talvez faça uma luta se puder mesmo. Se o corpo dela lhe der mais uma luta e ela quiser mesmo mentalmente lutar, então talvez aconteça. Diria que há uma chance de 50%.